terça-feira, 2 de dezembro de 2008

ENTULHO DE MUROS POLUI MEIO AMBIENTE

O entulho de dois muros construídos em uma trilha pela Associação Comunitária Jardins de Petrópolis, mais conhecida como “Condomínio Jardins de Petrópolis”, está poluindo o patrimônio natural dos nova-limenses (clique na imagem acima para ampliá-la). Duas trilhas foram fechadas no bairro, e os gastos para o fechamento foram em torno de R$ 6.000,00 (seis mil reais; fonte: balancetes do condomínio, set/out/2008). Na trilha que liga o JP à Fazenda dos Mendes, os muros foram destruídos, e todo o entulho de mourões e placas de concreto estão jogados no caminho e na mata ao arredor, mata essa remanescente de Mata Atlântica. Com a destruição dos muros, parte desse valor de R$ 6.000,00, dinheiro dos condôminos, foi para o lixo. A trilha onde o entulho está é uma descida forte e vai até o Córrego dos Macacos, um dos principais afluentes do Rio das Velhas. Nessa época de chuvas, se o entulho não for retirado rapidamente, ele irá todo para o Córrego. O interessante é que o “Condomínio Jardins de Petrópolis”, ao construir os muros para tentar impedir a passagem de treieiros, usou a bandeira do meio ambiente, alegando que a Mata Atlântica está ameaçada pelo trânsito das motocicletas. Houve até a publicação de reportagem sobre a questão em um jornal. Mas o entulho do muro feito pelo condomínio também está agredindo a Mata Atlântica, poluindo o patrimônio ambiental de Nova Lima. Ressaltamos que o último informativo do condomínio, o “Jardins Informa”, ed. n° 30, de novembro de 2008, recentemente distribuído, dá grande ênfase, possui em quase todos seus artigos, temas sobre proteção e preservação do meio ambiente (leia o "EDITORIAL" do informativo na imagem acima). Mas como podemos ver, tudo não passa de discurso e, principalmente, HIPOCRISIA.
Luís Eduardo Lemos, morador do Bairro Jardins de Petrópolis

domingo, 19 de outubro de 2008

ASSOCIAÇÃO CORPORATIVA?

Associação Comunitária Jardins de Petrópolis: Associação Corporativa? O evento Mesa Redonda, ocorrido no dia 10 de novembro de 2007, em Nova Lima, com o tema “A importância ambiental do Jardins de Petrópolis dentro do contexto municipal e da Apa Sul”, e que foi realizado para debater o Plano Diretor do município, foi custeado, bancado pela Associação Comunitária Jardins de Petrópolis, nome fantasia, “Condomínio Jardins de Petrópolis”. Estivemos presentes no evento e verificamos que quase todos os participantes que eram do Jardins de Petrópolis estavam usando a camisa com a logomarca da pseudo-ong, criada para manifestações contra o Plano Diretor, e que achamos que não serve PRANADA. Não vimos ninguém vestindo a camisa com a logomarca da associação/condomínio. No folder distribuído aos participantes havia também a logomarca da pseudo-ong (clique na imagem acima para ampliar e leia o folder do evento). O evento foi bancado pela Associação JP, mas a propaganda e a promoção de “defensores da natureza” foi direcionada à pseudo-ong e aos seus membros. Hoje, pelas informações que temos, o grupo amigo e defensor de invasores de áreas verdes PÚBLICAS de preservação ambiental parece ter registrado a pseudo-ong, passando a ser mais uma ONG, a terceira existente no JP, e que tem a pretensão de cuidar e proteger os recursos naturais de TODA Nova Lima. Questionamos:

* Caso a ONG tenha sido registrada, suas despesas de registro (despesas com cartório, documentação, etc.) foram pagas com recursos do condomínio?;

* Registrada, a ONG passa a ter personalidade jurídica própria. De onde virá sua receita? Do condomínio? Onde será sua Sede, será a mesma da Associação JP? O condomínio será como um “cartão corporativo”, onde a ONG poderá utilizar de sua infra-estrutura e de seus recursos para bancar suas despesas e realizar seus eventos, suas festas e promoções? Todo evento que a ONG realizar será em parceria com o condomínio, onde ele será o “caixa” e mera figura ilustrativa, e a ONG e seus membros serão os agraciados e beneficiados com o título e a fama de “protetores do meio ambiente de Nova Lima” ?

A Associação Comunitária Jardins de Petrópolis existe a quase quinze anos, e uma de suas principais atribuições, pelo menos é o que consta no seu estatuto, deveria ser, entre outras, a defesa do meio ambiente. É necessário criar mais uma ONG, cujos fundadores e participantes são os mesmos que criaram e que participam da Associação JP? Serão duplas despesas, dupla falta de transparência, dupla falta de atitudes e dupla inércia para a proteção ambiental da região. Em contrapartida, a nossa marcação cerrada, a nossa vigilância, também serão duplas!

Luís Lemos, cidadão e vigilante, SEM RABO PRESO, do meio ambiente do JP

“O setor deu um salto quantitativo em poucos anos: em meados da década de 80, estimava-se o número de organizações não-governamentais em pouco mais de 2.000; o último censo da área, feito em 1995 pelo Iser (Instituto de Estudos da Religião), com apoio do IBGE, apurou a existência de 250 mil organizações. "Hoje, elas devem passar de 300 mil", avalia Luiz Carlos Merege, coordenador do Cets (Centro de Estudos do Terceiro Setor), da FGV-Eaesp (SP).” http://www1.folha.uol.com.br/folha/sinapse/ult1063u838.shtml - 13/04/2008

terça-feira, 26 de agosto de 2008

ANIVERSÁRIO NO JP

Dia 26 de agosto de 2008, aniversário de dois anos do maior absurdo, da maior e principal " MANCHA AMBIENTAL" que entrou para a história do Jardins para o resto de sua existência: a "legalização da invasão" da área verde PÚBLICA de preservação ambiental e de manancial da rua Jacarandás (rua 06) e Ipês Amarelos (rua 04), entre os lotes 02 e 30 da quadra 06 (clique na foto acima para ampliá-la). Uma casa, uma piscina e uma área de lazer, construídas dentro da área PÚBLICA, deixaram, como num passe de mágica, de pertencerem à área de preservação. Uma lei (lei 826/2006) foi criada em Nova Lima EXCLUSIVAMENTE para atender ao interesse do proprietário das construções na área pública. Essa data é comemorativa e festiva para quem invadiu (proprietário do lote 30) e para quem ajudou e participou da legalização da invasão (o “Condomínio JP”, a Prefeitura de Nova Lima e a Câmara dos Vereadores). Mas é uma data fúnebre para os cidadãos que respeitam e valorizam a verdadeira riqueza comum: a VIDA, o meio ambiente, o patrimônio público e ambiental. A parte mais plana da área verde virou área particular, e as “beiradas”, que são as partes mais íngremes e irregulares, viraram área pública de preservação ambiental. Foram quinze anos de invasão, e todo o processo de legalização ocorreu na “calada da noite”, sem nenhuma transparência, audiência pública, debate com a comunidade e compensação ambiental, graças a postura anti-democrática e corporativista do “Condomínio Jardins de Petrópolis” e dos amigos do invasor. Ano que vem, aniversário de três anos, lembraremos novamente dessa data e acontecimento FÚNEBRES.
(Clique aqui e leiam outro artigo sobre essa questão). Leiam também: (“Legalização de invasão de área pública”), reportagens de jornais, fotos de satélite e mapa da área verde.
Luís Eduardo Lemos, defensor incondicional e vigilante, SEM RABO PRESO, do meio ambiente

sábado, 12 de julho de 2008

RECURSOS HÍDRICOS AMEAÇADOS

Se houvesse um campeonato, um torneio de qual condomínio de Nova Lima, ou até mesmo da Região Metropolitana de BH, possui o maior número de poços artesianos, com certeza o "Condomínio Jardins de Petrópolis" começaria no topo, em primeiro lugar. Estima-se que o número de poços perfurados já chegue a 60 (sessenta). Há poços perfurados a menos de 30 metros um do outro, além de outros próximos a nascentes e córregos. Com o povoamento crescente e o processo de ocupação dos últimos anos, verifica-se um grande aumento da dependência da exploração de suas águas, e o principal meio para essa exploração está sendo a perfuração de poços. Para minimizar possíveis impactos aos mananciais, deveria haver a perfuração de poços coletivos, devidamente licenciados e seguindo-se corretamente todos os trâmites técnicos exigidos. Condomínios vizinhos ao JP possuem um ou dois poços artesianos e caixas d’água de alta capacidade de armazenamento que abastecem todas as propriedades. Além de mais viável economicamente, esse procedimento é bem menos impactante às “águas”. Mas o que vemos no "Condomínio Jardins de Petrópolis" é que todo proprietário que inicia atividades no seu terreno, a primeira providência é perfurar um poço artesiano, e geralmente sem outorga. A falta de uma política de gerenciamento dos recursos hídricos é a causa desse grande número de poços perfurados, e está colocando em risco os mananciais da região. Até pouco tempo, placas de propaganda de firma de perfuração de poços estavam espalhadas pelo condomínio, passando a impressão de que é muito fácil e permitido perfurar um poço. E isso nos causa muita estranheza.
Luís Lemos, vigilante, SEM RABO PRESO, do Meio Ambiente

domingo, 22 de junho de 2008

FUGA DA RESPONSABILIDADE

“Luís, bom dia... Muito legal o que você está fazendo. Acho que a administração do Condomínio está receiosa de colocar normas para não perder a arrecadação. Chiar, todo mundo chia diante de novas regras, mas há que se impor. Parabéns”. (Moradora do JP, por e-mail em 19/04/2005, referente à nossa atuação na defesa ambiental. Atualmente, ela é a síndica do “condomínio")

O “Condomínio Jardins de Petrópolis”, em referência ao nosso manifesto sobre a posse irresponsável de cães (leia abaixo nesse blog o texto “Posse irresponsável”), colocou na última página de seu informativo “Jardins Informa” (que há dois anos não era publicado), um pequeno e irrisório artigo sobre essa questão (clique na imagem acima e leia-o). Diante da gravidade da situação, vemos, com os olhos de vigilantes que temos, que há desprezo, ironia e fuga da responsabilidade. 

O condomínio já recebeu várias reclamações, denúncias e cartas de cidadãos pedindo providências (leia carta clicando na imagem acima), mas, como sempre, a omissão, a inércia, o descaso, prevalecem. Enquanto não ocorrer uma tragédia, e isso é só uma questão de tempo, vemos, com os olhos de vigilantes que temos, que nada será feito, que normas não serão impostas. Por que será? Será que é porque os donos de cães soltos, os invasores de áreas públicas e os que degradam a biodiversidade do JP são amigos e pagam as taxas que sustentam o condomínio e, de “RABO PRESO”, essa instituição tem que agradar, não incomodar e não cobrar obediência às normas, às leis, com medo de perder arrecadação? E os cidadãos que não tem o rabo preso e querem voltar a caminhar tranqüilos e ver a biodiversidade do JP respeitada? E a fauna silvestre, que é a que mais tem o direito de ter seu habitat respeitado? Que se virem, que se danem?

“É sabido que o condomínio é responsável pela ordem e disciplina pelas quais todos nós condôminos somos obrigados a pagar. Da mesma forma que nos são impostas regras, devem elas ser impostas ao condomínio, pois todas as relações jurídicas ou não são permeadas por direitos e deveres. Não seria necessário dizer então que o condomínio será solidariamente responsabilizado por qualquer ocorrência dessa natureza ”. (Trecho da carta sobre cães soltos enviada por uma moradora ao “Condomínio JP”)

“ Graças ao prosseguimento da negociação das mensalidades atrasadas e graças ao nível de arrecadação regular que já alcançamos....”. (Informativo do Condomínio JP, pág.2, junho de 2008)

Luís Lemos, vigilante, sem RABO PRESO, do Meio Ambiente

sábado, 7 de junho de 2008

POSSE IRRESPONSÁVEL

Há exatamente um ano (maio de 2007), foi publicado na imprensa o nosso texto “Fauna silvestre massacrada em NL” (leia-o nesse blog), que denunciou a questão de cães que ficam soltos matando a fauna silvestre do JP. A repercussão foi grande, gerando abertura de processo no IBAMA (processo 4540/2007). Mas o processo não deu em NADA. Estamos em 2008. Agora as vítimas foram uma criança e seu pai. Ambos foram atacados por um cão feroz, que é um dos vários que ficam soltos pelas ruas e áreas públicas do condomínio, e que continuam ameaçando moradores, visitantes, caminhantes e a fauna silvestre da região (clique na imagem acima para ampliá-la). Há anos, denúncias envolvendo cães que ficam soltos são feitas ao “Condomínio JP”. Seus proprietários, que são condôminos, e que deveriam ter a posse responsável de seus animais, mantendo-os em áreas cercadas com tela, desrespeitam a comunidade e colocam em risco a vida de pessoas e dos animais silvestres. Em 2004, dois cães da raça Rottweiller atacaram e mataram um filhote de veado campeiro, animal ameaçado de extinção. Vários visitantes e pessoas que querem fazer suas caminhadas estão sendo impedidas de fazê-las. Outras estão fazendo com um porrete, para se defenderem de possíveis ataques. Diante da gravidade da situação, a síndica disse que o condomínio nada pode fazer para acabar com os cãos [sic] , ou melhor, CAOS. A imprensa publicou texto sobre o ataque do cão à criança. Será que agora alguma providência será tomada pelo condomínio, pela prefeitura e pelos órgãos ambientais? Ou essas instituições continuarão OMISSAS?

"Menos mal faz o hipócrita que se finge bom do que o público pecador". ( Miguel de Cervantes)

Luís Lemos - morador do JP

domingo, 18 de maio de 2008

SÓ PRA INGLÊS VER, II

Mais de dois meses após a divulgação do nosso manifesto em defesa das Águas de Nova Lima, publicado nesse blog com o título “Só pra inglês ver”, retornamos ao local onde grande quantidade de lixo e entulho estavam jogados próximo a córrego, e constatamos que ainda há muito lixo e entulho, entre eles, dois tambores de metal (tonéis) de 200 L, baldes, pneu e vários outros objetos (clique na imagem acima pra ampliá-la). Tivemos informações de que logo após a divulgação do nosso manifesto, uma caçamba foi utilizada para a retirada do lixo, mas apenas de uma parte. O interessante é que o “Condomínio Jardins de Petrópolis” trocou a faixa que estava no local, colocando outra com dizeres em defesa do meio ambiente, e convocando os cidadãos a denunciarem, a ele condomínio, lixo jogado em terrenos. Essas novas faixas também foram colocadas nas entradas de acesso ao bairro. Mas, até hoje, o condomínio não retirou todo o lixo jogado próximo ao córrego, ou solicitou ao proprietário do terreno, ou à prefeitura, a retirada. “Só pra inglês ver, II”. Como já dissemos, repetimos: colocar faixas sem retirar TODO o lixo antes é enganar a comunidade, é propaganda enganosa. Também não confiamos e não acreditamos que o condomínio, ao receber denúncias, as encaminhará aos órgãos ambientais. Das vezes que nós procuramos essa instituição para informar sobre degradações ambientais, alguns de seus membros e funcionários nos “deduraram” aos degradadores, que na maioria das vezes são condôminos. Denúncia se faz aos órgãos ambientais, à Polícia de Meio Ambiente e ao Ministério Público. E foi o que fizemos nessa questão do lixo. Os telefones são: Polícia Ambiental (31) 35412295 e Secret. Munic. de Meio Ambiente (31) 35414377. Onde está também a ONG ambiental criada no JP, cujos fundadores e participantes são amigos e defensores de invasores de áreas verdes públicas de preservação ambiental, que ainda não atuou nessa questão para resolvê-la? Até quando o lixo ficará jogado próximo ao córrego? Teremos que divulgar “Só pra inglês ver, III...,IV...V...?
"A verdade não pode vir do falso" (Cícero)
Luís Lemos, morador do JP

domingo, 9 de março de 2008

"SÓ PRA INGLÊS VER"

Estamos indignados, revoltados com o que estão fazendo, e deixando que façam, com as Águas de Nova Lima. Uma grande quantidade de lixo doméstico e entulho, além de diversos objetos, entre eles, um quadro de bicicleta, estão jogados em um terreno em frente a esquina das ruas Pau-Brasil (22) e Paineiras (23). Um morador das proximidades nos informou que esse lixo é jogado nesse local há quase dois anos. Poucos metros abaixo existe um córrego, e todo esse lixo está sendo arrastado para ele. O que mais impressiona é que o “Condomínio Jardins de Petrópolis”, que já tem conhecimento desse fato há vários meses, colocou uma faixa e uma placa sem que o lixo fosse retirado antes (clique na imagem acima para ampliá-la). “Só pra inglês ver”!! Há dois meses, a faixa do movimento de cidadania PreserveJP, que anunciava o endereço desse blog aos cidadãos, foi retirada da entrada de acesso ao JP pela prefeitura, a pedido do condomínio (veja texto e foto sobre esse assunto nesse blog). Três fiscais, mais o Diretor de Parques e Jardins do município, cargo subordinado diretamente ao prefeito, vieram ao JP somente para retirar a faixa do PreserveJP. Gasto de tempo e de dinheiro com combustível por causa de um pedaço de pano. Por quê numa situação gravíssima como essa que envolve a poluição e contaminação de um curso d’água pertencente a uma sub-bacia do Velho Chico, e que abastece várias famílias, o “Condomínio JP” não solicitou à prefeitura a retirada do lixo? Por quê o próprio condomínio não retirou ou solicitou ao proprietário do terreno a retirada, para depois colocar a placa e a faixa? O “Condomínio JP” cobra taxa de moradores e proprietários de chácaras e terrenos para a manutenção e melhorias da infra-estrutura do bairro. Tirando as portarias, o retorno é ZERO. A arrecadação não está sendo suficiente nem para contratar pessoal e caçamba para a retirada de lixo? Há exatos seis meses, mostramos e denunciamos onde lixo e entulho de construção estão sendo jogados em outros locais do bairro, como ruas, terrenos e áreas públicas (veja fotos e texto desse assunto nesse blog, sob o título: “O Jardins está um lixo”). Até hoje a situação continua do mesmo jeito. Colocar faixa e placa, sem retirar o lixo antes, é enganar a opinião pública, os cidadãos. QUE IRRESPONSABILIDADE, QUE VERGONHA, “CONDOMÍNIO JARDINS DE PETRÓPOLIS”!! Onde está também, o grupo remanescente e parceiro do condomínio, amigo e defensor de invasores de áreas públicas de preservação ambiental, e que tem a pretensão de proteger e cuidar do meio ambiente de Nova Lima inteira, mas que não consegue cuidar da própria casa, do próprio quintal? Detalhe: no dia 17 de novembro passado, membros desse grupo, que tem conhecimento desse lixo que vem sendo jogado há anos por todo bairro, participaram de reunião do Subcomitê das Águas de Macacos, realizada no Jardins de Petrópolis e, como sempre, SEM NENHUMA DIVULGAÇÃO E PROVIDÊNCIAS!!
"Que formosa aparência tem a falsidade" (Shakespeare)

Luís Lemos, cidadão, morador do Bairro Jardins de Petrópolis

sábado, 19 de janeiro de 2008

INVASÃO DE ÁREA PÚBLICA

Mais de quinze anos. Esse é o tempo que uma casa, uma piscina e uma área de lazer estiveram construídas dentro da área verde PÚBLICA de preservação ambiental e de manancial da rua Jacarandás (rua 6), entre as ruas Ipês Amarelos (rua 4) e Manacás (rua 8) (coord. geográf. 20°01'59" S e 43°53'06" O) (clique na imagem acima para ampliá-la). A proprietária do lote 30 da quadra 6 usufruiu, utilizou e se apossou da área verde sem se importar com os prejuízos causados ao ecossistema e à qualidade de vida da comunidade. Faz um ano e seis meses que ela conseguiu “legalizar a invasão”. E os privilégios continuam: a permuta feita com a prefeitura, e com a ajuda da Associação Comunitária Jardins de Petrópolis (nome fantasia “Condomínio Jardins de Petrópolis”), está beneficiando-a ainda mais, já que seu novo lote se transformou em um “oásis”, completamente rodeado por mata nativa, sem nenhum vizinho para incomodá-la. Na invasão, ela apossou-se do “miolo”, da parte mais plana e regular da área verde, e deu em troca para a comunidade as beiradas de seu antigo lote, que são acidentadas e com declividade acentuada. A proprietária do lote 30 e a prefeitura alegam que a comunidade, representada pelo “Condomínio Jardins de Petrópolis”, apoiou e concordou com a permuta. Esse argumento é FALSO. Apesar do condomínio, se achando com autonomia e autoridade de órgão ambiental, ter dado um “parecer favorável” à permuta, não existiu nenhuma discussão e debate em Assembléia Geral, nem audiência pública, onde poderiam ser discutidas e definidas medidas compensatórias que beneficiassem o interesse coletivo. Os cidadãos que se preocupam e lutam pela preservação do patrimônio público e ambiental não tiveram a chance e o direito de debater e expor seus argumentos para a defesa do ecossistema da área verde invadida. Há quase um ano, protocolamos carta no condomínio, solicitando cópia da lista de assinaturas e da Ata de Assembléia onde consta a consulta e o apoio da comunidade a essa permuta. Não tivemos resposta. Até hoje, um ano e meio após a legalização da invasão, o “novo lote” da beneficiada não foi cercado. Nunca existiu cerca separando a sua propriedade da área de preservação. Sua fauna importada (cães e gatos) ficam soltos pela área verde, provavelmente caçando e matando os animais da fauna silvestre, que deveriam ter essa área como habitat natural. Os cidadãos também são impedidos de entrar na área pública. Por quê a proprietária do lote 30 ainda não cercou seu lote com tela, para impedir que sua fauna importada entre na área de preservação ambiental e mate os animais silvestres? Onde está a comunidade do JP, representada pelo “Condomínio Jardins de Petrópolis”, que ainda não solicitou à proprietária do lote 30 o cercamento do seu lote?
Luís Eduardo Lemos, defensor do patrimônio público do JP
"A impunidade tolerada pressupõe cumplicidade."
(Marquês de Marica)

Veja nesse blog, com os títulos: "Legalização de invasão de área pública" e "Aniversário no JP", outros textos sobre essa questão. Veja também reportagens de jornais de BH e Nova Lima

* HISTÓRICO DO JARDINS *

O Bairro Jardins de Petrópolis situa-se em Nova Lima-MG (Coord. geogr. 20°01'26"S e 43°52'54"O), a 20 km de BH, com acesso pela rod. MG-030. Está a 8 km de São Sebastião das Águas Claras (Macacos).

Características da região:

Era uma fazenda que na década de 70 foi loteada, transformando-se em áreas de chácaras para lazer e descanso. Pertence à Área de Proteção Ambiental Sul (APA - SUL) da RMBH, sendo classificado como Zona de Uso Predominantemente Residencial de baixa densidade demográfica (ZOR3). Possui área total de 633 hectares (sua área é maior que a sede do município), dividida em 843 chácaras de áreas mínimas de 5.000 m². Ainda pouco povoado, conserva na maior parte de seu território uma rica biodiversidade remanescente de Mata Atlântica. Situa-se às margens de uma serra denominada Morro do Pires, que embeleza a região com seu magnífico porte e que pode ser avistada de qualquer parte em que se esteja do residencial. Possui áreas verdes (áreas públicas) reservadas, que somam 740.000 m² de mata nativa com nascentes e córregos que deságuam no Ribeirão dos Macacos. No JP vivem diversas espécies da fauna e flora brasileira, como os mamíferos (veado campeiro, tatus,macacos e, até mesmo, as onças jaguatirica e suçuarana); aves (saíras, tucanos, pica- paus); répteis e anfíbios. A flora é constituída por uma vegetação que reúne espécies que variam entre o campo de altitude, cerrado e matas de galeria. Na parte mais baixa, por onde correm os vários cursos d'água, concentra-se uma vegetação de grande porte (mata de galeria), composta de várias espécies nobres como jacarandás, ipês, jequitibás, dentre várias outras (existe um jequitibá no JP que são necessárias cinco pessoas para abraçá-lo).

*** LOTEAMENTO FORA DA LEI ***

O loteamento Jardins de Petrópolis NÃO POSSUI LICENCIAMENTO AMBIENTAL. É URGENTE, que o Estudo de Impacto Ambiental - EIA/Licenciamento Corretivo sejam elaborados, visando a preservação de um riquíssimo patrimônio natural que a cada dia vem sendo destruído. Enquanto não forem feitos, o loteamento estará IRREGULAR, FORA DA LEI, em DESACORDO com a legislação ambiental.

JARDINS DE PÁSSAROS AO SOM DE VIOLA (AUMENTEM O SOM!)

Esse vídeo também está postado em: http://ecoeantigos.blogspot.com

Luís Lemos

CRIME CONTRA A NATUREZA: QUEM VOCÊ PENSA QUE É, "CONDOMÍNIO" JARDINS DE PETRÓPOLIS?

PÉSSIMO EXEMPLO! ONDE? NO JP, É CLARO!!

DESCASO COM O MEIO AMBIENTE

DESCASO COM O MEIO AMBIENTE: O RETORNO

TRIBUTO AO JARDINS DE PETRÓPOLIS (c/som)

OPINIÃO PRESERVEJP

O Bairro Jardins de Petrópolis, com o crescimento dos últimos anos, vem passando por inúmeros problemas que ameaçam a preservação de seus recursos naturais. As questões ambientais não estão sendo tratadas com o devido respeito e com a importância que a região merece. Por possuir remanescentes de Mata Atlântica, inúmeras nascentes, córregos e várias espécimes da flora e fauna brasileira, é urgente, que medidas para a proteção dessa biodiversidade sejam tomadas. Instituições que deveriam por em prática mecanismos e ações de controle e fiscalização, além da adoção de políticas que priorizem a preservação do ecossistema local, não estão atuando de modo a inibir e acabar com a degradação existente. No bairro prevalece a política do “fingimos que não vemos”, onde quem é “amigo” e “sócio” fica isento do cumprimento de normas, leis e punições. Invasores de áreas verdes PÚBLICAS ficam impunes e sem ter que compensar os prejuízos causados ao meio ambiente; obras são iniciadas sem licenciamento ambiental; ilegalidades são aceitas e, por esses motivos, a rica biodiversidade do JP está ameaçada. Discursos hipócritas e poesias, ao invés de ações enérgicas contra quem degrada o patrimônio natural, não diminuirão, não acabarão com o caos ambiental vigente no, ainda, mas não se sabe até quando, paraíso ecológico Jardins de Petrópolis.

A VIDA CAMINHA NO JARDINS (FUTURA MAPAPALO)


O QUE ESTÃO FAZENDO E DEIXANDO QUE FAÇAM À BIODIVERSIDADE DE NOVA LIMA (c/som)

RECURSOS HÍDRICOS: Clique na foto e leia reportagem sobre o JP

Natureza em família


VÍDEO: MORTE NO JP (c/som)

Áreas verdes PÚBLICAS INVADIDAS POR PROPRIETÁRIOS DE CHÁCARAS

Áreas verdes PÚBLICAS INVADIDAS POR PROPRIETÁRIOS DE CHÁCARAS
Faixa esticada no acesso a Macacos e ao JP (clique na foto acima e leia texto sobre essa questão)

Novo mapa do JP: área verde "antes e depois" da "legalização da invasão"

Novo mapa do JP: área verde "antes e depois" da "legalização da invasão"
Clique no mapa acima e leia texto sobre essa questão

ÁREA VERDE INVADIDA

ÁREA VERDE INVADIDA

INVASÃO POR SATÉLITE

INVASÃO POR SATÉLITE
Faz um ano e meio que houve a "legalização da invasão" da área pública e até hoje não existe cerca separando a propriedade particular da área verde. Os animais da fauna silvestre estão sendo massacrados por cães e gatos

Reportagem sobre "legalização da invasão"

Reportagem sobre "legalização da invasão"

"Parecer favorável" à legalização da invasão

"Parecer favorável" à legalização da invasão
Que autonomia e autoridade uma associação de moradores tem, através do seu “Departamento de Meio Ambiente”, para dar um parecer favorável em uma questão que cabe apenas aos órgãos ambientais? Um parecer dado em 1999, e assinado por quem não é mais proprietário de terreno no JP, nem membro da associação, tem validade em 2005?

Reportagens sobre "Jequitibá do JP" nos jornais Diário da Tarde e Hoje em Dia

Reportagens sobre "Jequitibá do JP" nos jornais Diário da Tarde e Hoje em Dia

Reportagem sobre Fauna massacrada

Reportagem sobre Fauna massacrada
Jornal Folha de Nova Lima

JP perde Centro de Educação Ambiental

JP perde Centro de Educação Ambiental

Reportagem sobre Agenda 21

Reportagem sobre Agenda 21
Jornal O Correio, seção meio ambiente, 11 de junho de 2005

Censura, arbitrariedade e desrespeito à liberdade de expressão

Censura, arbitrariedade e desrespeito à liberdade de expressão
"Condomínio Jardins de Petrópolis" e Prefeitura de Nova Lima impedem liberdade de expressão do movimento de cidadania PreserveJP". A faixa do movimento, que anunciava o endereço do blog, foi retirada por essas intituições, que não querem que os cidadãos que se preocupam com a preservação ambiental sejam informados sobre o que vem ocorrendo com o patrimônio público e ambiental de Nova Lima

Informativo ambiental do JP

Informativo ambiental do JP
Receba o PRESERVE por e-mail: envie mensagem para preservejp@gmail.com e saiba o que vem ocorrendo com o meio ambiente de uma linda região remanescente de Mata Atlântica

Cartilha de Meio Ambiente

Cartilha de Meio Ambiente

Receba a Cartilha por e-mail, e saiba como agir para a preservação da região que você e sua família escolheram para morar e viver junto à natureza. Envie mensagem para: preservejp@gmail.com

DEPOIMENTO DE UMA CIDADÃ NOVA-LIMENSE

Prezado Luís,

Li todas as informações no PreserveJP... e achei fantástico. Sou nascida e vivente em Nova Lima. Aqui nasci, cresci, casei-me, sou mãe de três filhos, trabalho, sou pedagoga, tenho 62 anos e com alegria e tristeza cheguei ao final do seu blog.

Alegria.... Por termos uma natureza exuberante com uma flora e fauna como se fossem um brinde majestoso dado pelo Criador. Ele confiou quando presenteou-nos com esta dádiva. Serras azuis, verdes e multicores, bichos numa diversidade absurdamente integrada, sons, cheiros, barulhos. E ver e sentir um jovem consciente de uma responsabilidade vital e com olhar lá na frente é envolvente.

Tristeza.... Quando ouso pensar e vislumbrar o Criador, cabisbaixo, estarrecido numa constatação de erro ao confiar no Ser (?) humano um Planeta maravilhoso. Estragar este presente é falta de discernimento, falta de amor, é negar a vida.

Ao ver e ouvir o "Canyon no Córrego dos Macacos", vi águas falantes, tristes, perguntando sobre que direito tem o bicho humano de chegar, tomar posse e destruir como se fosse o Senhor da Razão e da Vida. Fiquei, no mínimo, arrasada. Aquelas águas falam.

Gostei. Não. Apaixonei-me pela causa, pela pessoa, pelos textos, pelas imagens, por todos os bichos das matas, pelas águas, pelas montanhas.
Continue. Dou-lhe o maior incentivo na forma de energia positiva. Afinal, a causa é por Nova Lima, a minha Nova Linda! Um grande abraço,

Mariléa Dieguez Protzner Peixoto - Pedagoga - Nova Lima - MG

JP visto do alto - Região remanescente de Mata Atlântica

JP visto do alto - Região remanescente de Mata Atlântica

RESPEITE O JARDINS DE PETRÓPOLIS

Em toda parte do planeta, sábias civilizações, tribos indígenas e grupos humanos de diversas crenças e culturas acreditam que existem entidades e espíritos que povoam, governam e protegem os ambientes da natureza, como o campo, as florestas, as montanhas, os rios, o mar, os animais, enfim, toda a biodiversidade. Vários estudiosos, expedicionários, viajantes, caminhantes e atletas, que por esses ambientes passam, também acreditam profundamente na existência deles. É muito conhecida a idéia de que o alpinista alcança o cume de uma grande montanha não quando ele quer ou pode, mas, sim, quando “A Montanha assim o permite”. Assim, antes de entrar e se aventurar no mar, num rio, numa floresta, você não precisa conhecer e seguir determinado ritual perante as entidades que lá estão. Simplesmente pare, observe a sua volta e escute. Assuma uma atitude acima de tudo, de muito respeito. Seja humilde. E peça licença para entrar, e proteção para sair. Certamente, dependendo do seu comportamento, as entidades lhe ouvirão. O Jardins de Petrópolis também tem suas entidades e espíritos que o governam e o protegem. Vamos respeitá-las. Dependendo do nosso comportamento, das nossas atitudes perante essas entidades e à biodiversidade, teremos esse paraíso ecológico preservado para nossos filhos, para as futuras gerações.
Luís Eduardo Lemos - Adaptação do texto do "Guia para Esportes de Aventura", do médico Clemar Côrrea

MANIFESTAÇÕES DE APOIO E ELOGIOS AO NOSSO TRABALHO

"Olá Luís Eduardo:

Parabéns pela sua luta. Com certeza você tem inspiração divina para reunir tanta força. Luta contra os insensíveis poderosos que por um punhado de dólares vendem a própria mãe. Postei sua matéria num bloguinho mais light que criei recentemente; http://ecoeantigos.blogspot.com/ O Blog anterior é este aqui, onde também repercuti seu valoroso Blog; http://www.desabafolandia2.blogspot.com/ Grande abraço nobre companheiro e que Deus te dê todas as forças necessárias para continuar o embate".

Sérgio

"Prezado Luis Lemos,

Como proprietário (futuro residente) compartilho com vc a luta pela preservação do nosso JP, e nesta data quero desejar um feliz 2008, que tenhas forças e comprometimento dos proprietários do JP para continuar com a árdua peleja pela manutenção da natureza no seu estado o mais natural possível. Um grande abraço,"

Nilson

Salve Luís, Muito bom o blog. Parabéns pela sua luta incansável! Cara é foda concientizar as pessoas, e mostrar o impacto q causam como no caso do ataque dos cachorros ao filhote de cervo q vc cita. Lugar de cachorro é na cidade!E por aí vai...É um belo local! O Brasil é realmente muito gde com muitos recônditos q nem imaginamos...Paz e luz!

Wagner Rodrigues - São Paulo - SP

"Nesse feriado de 15/11/07 tive o privilégio de conhecer o Jardins de Petrópolis no município de Nova Lima/MG e me encantei pela paixão com a qual luta Luís Eduardo Lemos pela preservação da fauna e flora da região local. Se tivéssemos mais pessoas como ele no nosso doente planeta Terra, certamente não estaríamos no caos que vivenciamos hoje. À você Luís Eduardo, e a todos os que abraçam essa nobre causa, o meu recado: INSISTAM, RESISTAM, PERSISTAM E JAMAIS DESISTAM...A Terra e seus habitantes agradecem.Parabéns pelo belo trabalho realizado!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Haylla Cavalcanti - Goiânia/GO

"Caro Luis Lemos,

Com muita satisfação recebi e acessei o blog do JP. Felizmente ainda podemos encontrar pessoas como vc, que é sim o verdadeiro guardião da natureza, que demonstra total equilíbrio e conhecimento com as suas atitudes e mostra todas as adversidades que se possa encontrar quando alguém tenta ser últil na preservação do meio ambiente. Sei que é uma briga de titãs, mas tentando se consegue, basta querer. Continue, sua luta é nobre, pois, quando a mãe natureza cobrar o seu espaço, só haverá um perdedor, "O HOMEM". Atenciosamente,

Mauro Reis de Aguilar - Polícia Ambiental de Nova Lima

"Luiz Eduardo,

muito obrigado pela apresentação de seu blog, o qual considerei excelente. Como amante da natureza, considero muito importante essas iniciativas que chamam a atenção das comunidades para com o devido tratamento a ela.

Cumprimento-o pela brilhante iniciativa, e que luzes Divinas o iluminem para que essa página seja cada vez mais otimizada, e que maiores camadas sociais a leiam e interajam."

Atenciosamente,

Roberto Félix

"Prezado Luís Lemos,

Parabéns pelo belíssimo, oportuno e necessário serviço de divulgação."

Atenciosamente,

Mônica Eustáquio Fonseca

"Caros organizadores,

Parabenizo a toda a equipe pela iniciativa do blog. Se todos tivessem esta disposição muitos dos conflitos locais poderiam ser divulgados e quiçá equacionados."

Bom trabalho a todos,

Isis Rodrigues Carvalho

"Oi Luis, como vai você? Poxa, você está lutando mesmo pelas causas ambientais. Eu sei que nosso trabalho é árduo, mas é persistir mesmo sem deixar nos abater. O Blog está ótimo, parabéns!"

Dirce, cidadã novalimense

"Luis, tudo bem? Acabo de fazer um bonito passeio pela natureza visitando o blog do JP. Ficou muito bom. Sinto esperança ao perceber que existem pessoas como vc que lutam pelo equilíbrio do sistema em que vivemos. O planeta terra ainda respira e suspira pela preservação de suas espécies. De nada adianta o progresso e o conforto que esse apregoa se não houver equilíbrio entre os seres vivos. Tudo que respira quer viver. Estou preocupada com a atividade de mineração no entorno de BH, precisamos ficar atentos com a fiscalização do MP e do IBAMA. Vamos em frente, a luta continua". Abraço,

Cláudia

"Prezado Luís,

Com satisfação acusamos o recbimento do Preserve JP. É alentador saber que existem pessoas que tranformam a sua preocupação e indignação em militância para as boas causas. Conte sempre com o nosso gabinete na Câmara de Vereadores de Nova Lima. Receba o nosso abraço,"

Marcelino Antônio Edwirges - Vereador-PT

"Oi Luis, tudo em paz? Obrigada pelas notícias do preserve jp, é sempre bom ter notícias de uma região tão linda como a nossa. Sempre bom tb ver que tem alguém como vc observando com atençao e energia o que pode ser feito pela preservação do meio ambiente. O mais importante é ter foco no que se acredita e nunca, nunca mesmo, desistir. Parabéns pelo seu trabalho,"

Cláudia Silva

"Luis,

Bom dia! Somos um grupo de moradores do Jardim Serrano que nos interessamos a colaborar e atuar efetivamente para a preservação da região. Esperamos um contato.
Abraços,"

Luciana Duarte


"Prezado Luiz,

Visitei o Blog preservejp e considero uma iniciativa importante para fomentar informações a respeito da preservação. Somente quando as pessoas são bem informadas podem se conscientizar e ter responsabilidades.

Gostaria de sugerir, se for possível, a inserção do link da AMDA no Blog; temos lutado muito pela preservação do Estado e a região da Apa Sul tem sido contemplada por várias ações nesse sentido.
Um abraço,"

Elizabete


“Luis Eduardo,

Parabéns pela perseverança. A equipe do JP está fazendo um trabalho maravilhoso. O mundo precisa de pessoas como vocês, pessoas que acreditam e lutam em favor da VIDA. Eu também venho trabalhando em favor da preservação de uma área que, até a década de 80, formava um corredor ecológico com a Mata do Jambreiro. Precisamos trocar figurinhas. Tenho muito a aprender com vocês. Faça contato. Mais uma vez. PARABÉNS! Contem comigo.”

Eliana/SMAMA BH- Gerência de Educação Ambiental


Frases e citações do Movimento PreserveJP

"SÓ ENQUANTO RESPIRARMOS, VAMOS DEFENDER A BIODIVERSIDADE DO JARDINS DE PETRÓPOLIS. SÓ ENQUANTO RESPIRARMOS."

Cidadãos do Movimento PreserveJP (adptação da letra da música "O anjo mais velho" - Trupe do Teatro Mágico)

"NÃO ACEITAMOS E NÃO ADMITIMOS QUALQUER TIPO DE CENSURA À NOSSA ATIVIDADE LÍCITA E CÍVICA, A SABER, A NOSSA LIVRE EXPRESSÃO DE OPINIÃO, O NOSSO EXERCÍCIO DE CIDADANIA"

Luís Lemos, cidadão, e sempre, não por hora, defensor incondicional do patrimônio ambiental do JP


"NUNCA DUVIDE DA CAPACIDADE DE UM PEQUENO GRUPO DE DEDICADOS CIDADÃOS PARA MUDAR OS RUMOS DO PLANETA. NA VERDADE, ELES SÃO A ÚNICA ESPERANÇA DE QUE ISTO POSSA OCORRER" Margareth Nead


"CORAGEM NA ESPERA PÚBLICA PRESSUPÕE MOSTRAR AOS OUTROS, POR MEIO DA PALAVRA E DA AÇÃO, PARA O MELHOR E O PIOR, QUEM SE É E DO QUE SE É CAPAZ" Hannah Arendt - filósofa


Avifauna do JP: Tangará dançador

Avifauna do JP: Tangará dançador

MOSAICO - JP FAUNA

MOSAICO - JP FAUNA
Aves Socó e Gavião, lagarta e sapinho

AVIFAUNA DO JP: PICA-PAU

AVIFAUNA DO JP: PICA-PAU

ONG (MAIS UMA) CRIADA NO JARDINS. QUEM A SUSTENTA?

ONG (MAIS UMA) CRIADA NO JARDINS. QUEM A SUSTENTA?